terça-feira, 25 de novembro de 2008

senhor do meu amor !

deixa ser.. teu embalo, teu engasgo, teu sabor
pega de jeito.. me rasga, me inflama de amor!


Teu cetro reclamas,
Devassa,cansaste das chamas
Das façanhas inócuas
Dos prazeres fúteis

Que ventos te trazem.
Do teu castelo de nada
A nada chegou vida desregrada
Sem metas, só prazeres.

A nada levou,
E ao trono te retornou.
Que pensavas encontrar?
Prazeres, vícios, uivos e gemidos
Devassa. E Amada Rainha

À monárquica vida retornas
Mais vivida, mais sabida.
Mais disposta ao Amor e seus caprichos
Amada, devassa, sim a rainha te tornarei

Pois de te Amar jamais deixei.
Mas se prazeres procuravas
Deles nunca mais deixarás
Já que a tua ausência me fez ver
Que disso gostas e és capaz.

Então Amada volta.
Para o teu "mediterrâneo inferno"
Onde aprenderás a viver
Sempre e só para o prazer.

Te Amo Rainha Devassa

RUI ventura

Um comentário:

Moi Aussi disse...

Meu amor, eu te adoro e você sabe disto, né?
Amei seu blog, o nosso encontro daqui pro futuro.
TE amooooooooooooo!
Beijos!

Quem sou eu

Minha foto
Brazil
A lua cheia de beleza e luz É fase bela e misteriosa Por que será que a tantos seduz ? Talvez porque tão decantada em prosa. Lua minguante, fase tão modesta Que míngua a dor do que acredita nela. É lua boa e não se manifesta Como uma fase que aparece bela. A lua nova, clara e brilhante, Sempre renova a fé de algum mortal; É lua limpa, não tem semelhante Visível em todo plano sideral. Lua crescente, cresce a esperança, De vida boa, com fartura e paz. Com fé na lua, toda graça alcança, Quem, com trabalho, seu destino faz. Dizem que a lua influencia a vida, Sendo a raiz dessa crença remota. Há quem afirme ser crença vencida, Mas contestá-la se torna idiota...

Arquivo do blog